Marcha da maconha invade o Brasil e o mundo

Uma manifestação em favor da legalização da maconha chamou a atenção de quem passava pelo Centro de Belo Horizonte, na tarde deste sábado. Segundo a Polícia Militar, o ato reuniu cerca de 100 pessoas, sendo a maioria jovens e estudantes.

Com faixas e cartazes que estampavam a frase “Legalize já!”, a polêmica Marcha da Maconha teve início na Praça da Estação, por volta das 16h. Aos poucos, a passeata ia ganhando adeptos, somando aproximadamente 300 pessoas.

Aos gritos de “Chega de hipocrisia!”, “Ei! Polícia, maconha é uma delícia!’ e “Sou maconheiro com muito orgulho e muito amor!”, a marcha passou em frente à sede da Prefeitura da capital, na Avenida Afonso Pena, e terminou na Praça da Liberdade.

O evento foi autorizado na sexta-feira pela juíza Neusa Maria Guido, da 1ª Vara de Tóxicos de BH. A polícia informou que não houve registro de ocorrência durante o manifesto.

Sul

Em um movimento pacífico, acompanhado pelos olhos atentos da Polícia Civil e da Brigada Militar, a 3ª edição da Marcha da Maconha, realizada hoje à tarde no Parque da Redenção, na capital gaúcha, reuniu cerca de 500 pessoas. A caminhada, promovida na pelo coletivo Princípio Ativo, ocorre em outros nove municípios brasileiros e em pelo menos 300 localidades do mundo.

Segundo um dos organizadores da ação, Leonardo Guinther, a intenção é promover um debate na sociedade gaúcha sobre a política das drogas.

– Não temos uma fórmula pronta. Precisamos discutir os prós e contras da atual política de drogas que não é eficiente – explica.

Para o grupo, as políticas públicas sobre drogas implementadas atualmente no país são baseadas quase que exclusivamente em ações de repressão e na maioria das vezes apenas estigmatiza os usuários. Durante o ato, alguns jovens se manifestaram contra a legalização. Estudante de engenharia da UFRGS, Rodrigo Carvalho, 20 anos, era um dos contrários a marcha.

– A maconha é essencial para o tráfico. Acreditamos que deveria haver uma repressão total às drogas – comenta.

Vídeo publicado no site YouTube traz as imagens da última caminhada em Florianópolis:

Com informações do Portal UAI / ZERO HORA / Clic RBS / Profetico