A Maldade do Homem

Porque Deus Permite o Mal? Em Concordância com o comentário postado nesse site, com o tema porque Deus Permite o mal? A filha de Billy Graham, Anne Morrow Graham…

A Maldade do homem – A maldade do homem, ou seja, o mal que presenciamos não só nos dias hodiernos, como também desde a criação do mundo (Gn 4.5-8), (Gn 11.1-8); (A Torre de Babel); O problema com a idéia de todos os homens juntarem seu governo, religião, língua etc, é que Deus não tolerará isso. Idéias de um mundo agrupado são de Satanás e não de Deus. Deus quer que os homens dependam Dele, e não de um a outro. Ele quer que O adoremos em espírito e em verdade, e não a estátuas, cruzes ou prédios. Por isso, Deus veio e confundiu a língua e, assim, não podiam entender uns aos outros. Sua obra parou e espalharam-se por toda a terra para povoá-la, como Deus lhes havia dito inicialmente. Hoje em dia os homens ainda estão tentando chegar a um governo mundial (Globalização) e estabelecer uma religião mundial. Opor-se a esses esforços é perigoso, porem os cristãos devem resistir a isso, sabendo que provem de Satanás.

A Maldade do homem a princípio nos causa muitas vezes motivo de espanto, impacto e indignação e por ultimo sentimos tristeza. Porém Deus é diferente, Ele sente profunda tristeza e compaixão. Condicionando o homem sempre ao arrependimento.

Gênesis 50.15-21

15 – Vendo então os irmãos de José que seu pai já estava morto, disseram: Porventura nos odiará José e certamente nos retribuirá todo o mal que lhe fizemos.

16 – Portanto mandaram dizer a José: Teu pai ordenou, antes da sua morte, dizendo:

17 – Assim direis a José: Perdoa, rogo-te, a transgressão de teus irmãos, e o seu pecado, porque te fizeram mal; agora, pois, rogamos-te que perdoes a transgressão dos servos do Deus de teu pai. E José chorou quando eles lhe falavam.

18 – Depois vieram também seus irmãos, e prostraram-se diante dele, e disseram: Eis-nos aqui por teus servos.

19 – E José lhes disse: Não temais; porventura estou eu em lugar de Deus?

20 – Vós bem intentastes mal contra mim; porém Deus o intentou para bem, para fazer como se vê neste dia, para conservar muita gente com vida.

21 – Agora, pois, não temais; eu vos sustentarei a vós e a vossos filhos. Assim os consolou, e falou segundo o coração deles.

Na minha concepção a Bíblia não foi apenas escrita para provar a existência de Deus, mas também para aqueles que crêem em Deus. Ela responde ao dilema da alma humana, descrevendo a realidade de cada pessoa. O autor do Gênesis talvez olhasse para sua realidade e perguntou: por que as coisas são assim? Como chegaram há esse tempo? Por que o mundo é desse jeito e por que as coisas funcionam dessa maneira?

Talvez estivesse em conflito, angustiado, fazendo perguntas existenciais, refletindo sobre a condição do homem. Baseado em sua própria perspectiva, ele oferece uma explicação: o mundo é o que é em função da ação livre do ser humano. Ao se olhar no espelho, nós contemplamos a nós mesmo e questionamos: por que sou assim? Ora faço o bem, ora faço o mal.

Por que não reconheço o mal que pratico? Por que não consigo dominar o mal que está em mim? De onde vem isso? Por outro lado, ele consegue enxergar a bondade e então sua pergunta é a mesma? De onde vem tanta bondade?

Somos parte de uma sociedade violenta, que faz vitimas o tempo todo e nosso questionamento não muda. Por que fazemos isso? Ainda sim é possível olhar para todas essas pessoas e contemplar algumas praticando o bem, praticando atos de perdão e misericórdia. Na passagem acima citada, conhecemos um homem que apesar de ter sido maltratado pelos seus irmãos, não teve dúvidas de os tratarem com bondade.

De onde vem tanta bondade?

Reflita comigo; o dilúvio quase exterminou a raça humana. Por que Deus permitiu isso? Qual a explicação para as enchentes de Santa Catarina, Rio de Janeiro e outros estados? E os tsunamis? Terremotos e tantas outras catástrofes? Seria o julgamento de Deus, condenando o ser humano? São eventos naturais ou existem razões sobrenaturais que justifiquem tais acontecimentos. Essas e outras perguntas assolam o coração de todos. Todos passam por tempos assim. Mas nós cristãos temos um sólido esclarecimento; (Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos… II Tim 3.1-7), (e ouvireis de guerras e de rumores de guerras e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares… Mt 24.4-8).

Quem teria mandado José para o Egito? Deus ou seus irmãos? Esse talvez seja o conflito máximo do primeiro livro do V.T. Houve um tempo em que as duas mãos de Deus tocavam a realidade humana. Em outro tempo, apenas as mãos humanas agiam. Até que chegamos há um tempo em que as quatro mãos, de Deus e dos homens fazem uma nova história.

Gênesis 45.7: Pelo que Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra, e para guardar-vos em vida por um grande livramento.

O próprio José sabia que Deus tinha propósito em todas as coisas. Poderíamos entender que Deus estava manipulando e usando os irmãos de José? Como ele seria capaz de permitir coisas ruins acontecerem?

Aqui está o maior conflito da liberdade humana: se é Deus quem manda o homem não tem responsabilidade alguma.

No capítulo 50, a soberania de Deus se contrapõe ao livre arbítrio do homem. Deus é soberano e o homem é livre. O homem, sendo mal em seu interior, usou de maneira errado a liberdade que Deus concedeu. Mesmo assim, Deus transforma o mal em bem, por causa da sua Bondade que está acima de todos. (1 João 4.4)

Quem levou José para o Egito? A bondade de Deus ou a maldade do homem? O autor diz serem as duas coisas. Tanto Deus fez como o homem fez. Tanto Deus está no controle da história, como o homem é responsável por suas escolhas. Tanto a bondade de Deus está presente na História, como a maldade do homem justifica os seus rumos.

Existe um conflito entre a soberania de Deus e a liberdade do ser humano. Soberania e liberdade, ambas se entrelaçam na mesma história. Deus não perdeu o controle, nem o homem deixou de ser responsável.

O homem faz tudo o que quer. Deus também faz tudo o que quer. O homem constrói sua história. Deus também constrói a história do homem. O homem tenta atrapalhar a história de Deus, mas Deus não atrapalha a história do homem.

O que está acontecendo? É decisão sua ou vontade de Deus? Não entre nesse labirinto. Na tente explicar as circunstâncias da vida, enquanto se vive. Não passe a maior parte do seu tempo procurando culpado ou responsável. Deus está além do nosso conhecimento.

Marta e Maria chegaram a responsabilizar Jesus pela morte do seu irmão Lázaro. Não pergunte de quem é a responsabilidade. Faça da seguinte maneira. Tendo acontecido o que aconteceu, o que eu devo fazer agora? Entenda e admita que você fizesse o seu melhor e pronto. A maioria das pessoas fica presa nesse labirinto de indagações. Vamos agir com confiança em Deus. (Tiago 4.13-15; Atos 16:6).

Devemos procurar viver nossa vida da melhor forma possível, sempre sabendo que acima de tudo, Deus está no controle. O choro de José foi porque ele percebeu que os irmãos ainda continuavam os mesmos mentirosos, trapaceiros, sem entender a soberania de Deus.

Ainda vemos e ouvimos, esse relatos, notícias que continuam impactando o âmago da nossa alma.

– Uma multidão enfurecida queimou vivas pelos menos 11 mulheres acusadas de bruxaria no distrito de Kisii, no oeste do Quênia.”

– É assim que as coisas acontecem. A toda poderosa Igreja deu um belo de um mau exemplo que agora é largamente seguido pelos cristãos quenianos. A inquisição foi responsável pela morte de milhares ou talvez milhões de pessoas em piras e câmaras de tortura. Sozinho, por exemplo, o inquisidor Tomás de Torquemada foi responsável direto por mais de 2.000 condenações à morte.

– No Irã, uma mulher foi enterrada até a altura das axilas e apedrejada até a morte por ter atuado num filme obsceno.

– No Afeganistão, uma adúltera também foi apedrejada até a morte. Já nos EUA, em um estado laico, um homem que matou um médico que realizava abortos foi condenado à morte por injeção-letal.

– Com o tráfico negreiro ocorrido no Benin (também em Gana, Nigéria e Togo), a religião vodu seguiu para o Haiti, Cuba e Estados Unidos. No Haiti, o vodu é a religião oficial (declarada pelo presidente Jean Bertrand Aristides em 2003). Até mesmo os casamentos realizados no vodu são considerados oficiais.

– O presidente haitiano, Jean Bertrand Aristides, ex-padre católico, declarou, em abril de 2003, o vodu como religião oficial do país. Com essa posição do governo, os casamentos realizados no vodu passaram a ser aceitos e considerados oficiais, tendo valor religioso, como ocorre com as demais religiões ao redor do mundo.

– Mas a importância do vodu no Haiti ultrapassa o âmbito religioso. O turismo haitiano tem explorado o voduísmo com afinco. A ministra do turismo, Martine Deverson, disse: “Hoje em dia existe uma consciência maior do patrimônio cultural do Haiti, e o vodu apesar de freqüentemente ser confundido com magia negra, pode ser fator de atração para os visitantes”.

– No sul da Somália, adultério é tratado na base da pedrada. Um somali foi apedrejado até a morte depois de ter sido considerado culpado por crime de adultério. A sua namorada, grávida, foi poupada, mas apenas até o nascimento da criança.

Abas Hussein Abdirahman, de 33 anos, foi apedrejado em praça pública, diante de cerca de 300 pessoas, na cidade portuária de Merka, no sul da Somália. Aparentemente, a execução teria sido conduzida pelo al-Shabab, um grupo islâmico extremista.

Reflexão:

O caminho do pecado é trevas, e o caminho do ímpio é tenebroso; portanto, perigoso; eles caem em pecado, mas não sabem como evitá-lo. Envolvem-se em problemas, mas nunca procuram saber se Deus contende com eles, nem qual será o fim dele. Este é caminho que insistentemente somos admoestados a evitar. Ouvir atentamente a Palavra de Deus é um bom sinal da obra da graça começada no coração, e um bom meio de realizarmos sempre. Na Palavra de Deus há um remédio apropriado para todas as enfermidades da alma. Guarda o teu coração com toda a diligência. Devemos colocar em nossas almas uma estrita vigilância, e impedir que nossos corações infiram dor e sejam feridos. É dada uma boa razão: porque daí surge os assuntos da vida.

Sobretudo, devemos buscar o Senhor Jesus, a Água Viva, o Espírito santificador, que brota para a vida eterna.

Assim, seremos capacitados a eliminar uma boca perversa e lábios pervertidos; nossos olhos serão impedidos de contemplar a vaidade quando olhamos adiante e corretamente, andamos pela regra da Palavra de Deus, e vamos após os passos de nosso Senhor e Mestre. Que esta seja a nossa oração: “Senhor, perdoa o passado e capacite-nos a seguir-te de maneira mais próxima no tempo vindouro”.

Bibliografia: HENRY, Matthew. Comentário Bíblico, p.511. 2002.

Referências Bíblicas (Maldade do Homem):

– Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicando na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração” (Gênesis 6.5).

– O Rei Saul. Motivado principalmente pela inveja, Saul se dedicou a prejudicar Davi (1 Samuel 18.6-9).

– “O rei e se lhe lançou aos pés; e, com lágrimas, lhe implorou que revogasse a maldade de Hamã, o agagita, e a trama que havia empreendido contra os judeus” (Ester 8.3).

– Ai daqueles que, no seu leito, imaginam a iniqüidade e maquinam o mal! À luz da alva, o praticam, porque o poder está em suas mãos. Cobiçam-se campos, os arrebatam; se casas, as tomam; assim, fazem violência a um homem e à sua casa, a uma pessoa e à sua herança (Miquéias 2.1-2).

– Neemias percebeu seu plano mau e recusou ir. Ele disse: “Porém intentavam fazer-me mal” (Neemias 6.2). “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará “ (Gálatas 6.7)

– Há pessoas cujo negócio é praticar maldade. Eles cogitam, planejam e tramam maldades. São “inventores de males” (Romanos 1.30).

– Então, os principais sacerdotes e os anciãos do povo se reuniram no palácio do sumo sacerdote, chamado Caifás; e deliberaram prender Jesus, à traição, e matá-lo (Mateus 26.3-4).

– Esses são poucos dos muitos exemplos na Bíblia de pessoas que podem ser chamadas “mestres de intrigas”. Deus considera abominável o “coração que trama projetos iníquos” (Provérbios 6.18).

Fonte: Moab Soares de Lima / Profetico