Pulseiras do sexo devem ser proibidas em cidade catarinense

Foi aprovado por unanimidade, nesta terça-feira (02-03-2010), pela Câmara de Vereadores de Navegantes (SC), um projeto de lei que proíbe o uso das pulseirinhas do sexo nas escolas da rede municipal da cidade.

 

O projeto é de autoria do vereador Marcos Paulo da Silva e para entrar em vigor precisa da sanção do prefeito da cidade.

O vereador explicou ao G1 que além de proibir o uso das pulseiras, a lei prevê que o corpo docente e a direção das escolas realizem reuniões com os pais dos alunos para esclarecer sobre essa medida e orientá-los sobre questões que envolvem relações sexuais.

De acordo com o vereador, a lei deve ser sancionada ainda nesta semana. “Sem dúvidas a lei entrará em vigor. Recebi uma ligação do prefeito dizendo que ele vai sancionar a lei hoje”, disse o vereador.

“As pulseiras não são o único problema. O problema é a conotação sexual que acabou sendo ligada a elas. Várias unidades de ensino do nosso município tiveram problemas com essas pulseiras por causa do apelo sexual. Mais do que a proibição, a orientação dos pais é o mais importante”, afirma o vereador.

Ainda de acordo com Silva, o município não deverá enfrentar problemas na adequação a lei. “Os próprios pais dos alunos deverão conversar com seus filhos em casa. Esperamos que essa lei acabe com a exposição sexual de adolescentes do município”, diz o vereador.

A ‘brincadeira’

A “brincadeira” funciona da seguinte forma: uma menina coloca diversas pulseiras de silicone coloridas no braço e um jovem tenta arrebentar um dos adereços. Cada cor representa um “carinho”, que vai desde um abraço até sexo; quem arrebentar receberá a “prenda” da dona da pulseira.