Radicais lutam para impedir o uso da internet

Caracterizada por um estrondoso avanço tecnológico, a globalização transpõe todas as fronteiras e permite acesso rápido a todo tipo de informação, em qualquer parte do mundo. Entretanto, mecanismos como a internet, por exemplo, que promovem intensa interação entre indivíduos das mais diversas culturas e orientações, ainda enfrenta resistência.

Apesar de desempenhar diversas funções dentro da sociedade, a internet, essa grande rede mundial, está sendo alvo do ataque de líderes da comunidade ultraortodoxa judaica, que luta para impedir a disseminação do uso de computadores entre seus membros.

Ainda que o acesso à rede nas residências dos membros da religião esteja proibido desde 2000, Israel ainda registra crescimento do número de religiosos que navegam pela web. Cerca de 40% dos quase 700 mil membros da comunidade judaica navegam pela rede mundial de computadores.

A cada ano surgem novos recursos e não há como negar que diversos estágios da evolução da sociedade foram facilitados, devido à gama de possibilidades que o meio oferece.

Entretanto, mesmo enfrentando grande dificuldade para impedir o uso da internet, os rabinos buscam impedir que a grande rede chegue aos lares dos fiéis, mas para muitos habitantes, não seria possível proibir o acesso a um serviço tão importante para a população. (MV)

Agência Unipress Internacional