Igreja medíocre, amor ao dinheiro

“Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males, e nessa cobiça alguns se desviam da fé, e se transpassam a si mesmos com muitas dores” (1 Timóteo 6.10 Bíblia Thompson). Esse texto contém nada menos que cinco nomes (substantivos): amor, dinheiro, raiz, espécie, males. Podemos resumir o seu sentido em poucas palavras, dizendo que nosso texto “reprova a avareza”. Notemos que não contem nenhuma exortação, mas apenas afirmação.

Quem ama o dinheiro é “egoísta” (comodista: uma pessoa que pensa no seu interesse com primazia), mas o cristão é “altruísta” – uma pessoa que se interessa pelo bem dos outros. O próprio Paulo em sabias palavras e vivencia declara “Eu, de muita boa vontade, gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas” – aqui está um homem exemplo para a patética liderança cristã dos dias atuais. Paulo era preocupado com a causa do Evangelho de Cristo (e ainda assim não se achava digno de “sofrer” por amor a causa do mestre), ao contrario, temos “evangelistas” descaradamente preocupados com as vendas do seu ultimo DVD, e se ainda esta cotado na lista dos maiores do Brasil – certamente estes não são discípulos do Senhor Jesus. São discípulos de si mesmo, amantes de si mesmo, pastores de si mesmo. E as grandes cruzadas evangelísticas que levavam centenas de almas para o reino de Deus? Extintas! Nós queremos festa! Festa das irmãs, dos irmãos, dos jovens, do coral. Essas que se “paga” para os showman trazer fogo. Fiquei impactado quando uma amiga pregadora me contou que ao chegar numa igreja, alguém a abordou perguntando “é a irmã que vai cuspir fogo aqui hoje?” – não vou te contar a resposta dada pela “meiga” pregadora para não fazer você pecar. Um grupo aqui canta, outro ali canta também, e depois sobe no altar “o ministério de louvor” quem nunca soube o que é ministrar nem na própria vida (está ali simplesmente para emocionar os crentes medíocres, e estes alavancar as vendas do material fonográfico – isso sem contar o quanto já cobrou pela presença no recinto).

Finalmente é dado o microfone ao aclamado “cuspidor de fogo” que faz todo o tipo de “estripulias, chocarrices, arrogâncias” (tudo em nome de Jesus), e ainda ínsita (como não tem nada de Deus para dar a Igreja) “os profetas” profetizarem – sendo a Palavra de Deus a maior profecia. Pior é quando vamos neste culto que Jesus não esta presente (sabemos que Deus esta presente, em toda a terra e ate no inferno! Para os mais empolgados, a Bíblia testifica sua onipresença), mas do que adianta a presença de Deus se não interagimos com Ele? As operações do Espírito Santo visam um fim proveitoso. “Palavra boa” (esta é especial para os tradicionais) ate Dalai Lama tem e estamos fartos de “palavras boas”, queremos homens e mulheres compromissados com Deus e na autoridade da Palavra dizer “assim diz o Senhor dos Exércitos”. Então, os ímpios que estiverem no nosso meio, assim como toda a igreja serão inundados pela presença do pão vivo que desce do céu para saciar nossa sede de Deus. Ai “sim”, a glória de Deus vai eclodir em nosso meio, não só num barulho de línguas, mas interpretação, curas, sinais miraculosos – e é claro. Vidas, aos milhares, se rendendo ao Cristo vivo.

Jesus está vivo! E quem vive interage com outros vivos. O noivo esta voltado, e vem buscar uma Igreja preparada. Quem sabe você é aquele crente que está satisfeito com seus compromissos na sua igreja, mas perdoe-me constrange-lo, você tem almas para apresentar a Deus? Eu te convido, com a autoridade da Palavra, a analisar Mateus 25.1-13. Dez virgens, cinco com azeite, e cinco sem azeite – mas todas eram virgens. Virgem aqui nesta singela parábola fala de “costume”. Desde aqueles tempos é costume das noivas casarem virgens. Mas apenas cinco vigiavam a chegada do noivo, e estavam preparadas para irem ao seu encontro. Como você vai ao encontro do Senhor? Com as festas “costumeiras” da igreja que você organizou – vale à pena ressaltar, tem igrejas sendo decoradas como clubes noturnos. Ou com a “aparência de crente”. O Salmo 119.100,105 diz “sou mais prudente do que os velhos (maturidade), pois guardo os teus preceitos”, e ainda continua “lâmpada para os meus pés, e luz para o meu caminho é a Tua Palavra”.

Paulo na 2 Carta aos Coríntios, testifica (4.5,6) “Pois não pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor, e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus. Pois Deus que disse: Das trevas resplandecerá a luz, é quem brilhou em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo” (Bíblia Thompson). – E pensar no número astronômico de mentirosos, contadores de falsos milagres, falsos testemunhos tem surgido no meio de nós. E pior, somos coniventes, pois ouvimos outrora calados, outrora “glorificando” pelo que nunca aconteceu.

Querido irmão em Cristo Jesus, não sejamos criticos da “igreja”, mas quem não se opõe ao engano, a ele se associa – quem cala consente? Sejamos vasos de barro (simplicidade), mas tendo dentro de nós O tesouro incomparável. Então “cientes” de que a excelência do poder vem de Deus, e não de nós (2 Co 4.7). Tem intimidade com Deus quem vive a Palavra de Deus.

Amemos a pregação do Evangelho. “AMEMOS”. Quando nos pensamos na obra do Senhor Jesus, não podemos pensar nEle como amador de dinheiro. Pois o evangelho de Jesus é perfeitamente “altruísta” no sentido que Ele constantemente se gastou em servir aos outros. Jesus jamais se preocupou com um templo rico – como nos dizemos “é tudo para o Senhor e Ele merece o melhor” – mentira! Deus não habita em templos feitos por mãos humanas, e se você se envaidece por congregar na igreja mais rica da cidade, certamente não serve ao Deus que sozinho forrou os campos. Todo o conforto de um edifício que chamamos por costume de igreja é para nós. O templo magnífico que a “lâmpada” quem acender é você. Completamente incandescido pela graça inefável de Cristo, altamente parecido com Ele.

Quer louvar ao Senhor e ninguém dá oportunidade na sua igreja, aquela facção de “panelinhas” de cultos previsíveis… Recomendo ler Salmo 103.1 “bendize a minha alma ao Senhor, e tudo que há em mim, bendize o seu santo nome” (Bíblia Thompson). É medíocre o crente que pensa ser as musicas a única forma de louvor. Tudo o que somos e que fazemos, louva o nome santo do Senhor. Aleluia!

E você meu caro jovem pregador, ou pregador “experiente”, mas que se perdeu no caminho… Recomendo-os a degustar as singelas admoestações de Paulo a Timóteo (2 Tm 4.5) “Tu, porem, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre bem o teu ministério” (Bíblia Thompson). Confesso não ser tarefa fácil, num tempo em que não suportamos mais a sã doutrina, e nos cercamos de mestres segundo a sua própria cobiça, rejeitando a verdade, por fabulas (2 Tm 3.4).

Quem ama o dinheiro é capaz de ser avarento, sovina, egoísta, antipáticos, retraído e até cruel. Quem não ama o dinheiro, mas ama o próximo será caridoso, altruísta, simpático e compassivo. Qual dos dois amores reflete o seu caráter?

Seja abençoado em nome de Jesus. Amém.

por Daniel Ramos articulista do Gospel Prime / Profetico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.