Ario, presbítero cristão de Alexandria

Ário ou Arius (n. 256 – f. 336 ) foi o fundador da doutrina cristã do arianismo (Veja mais sobre o Arianismo). Foi um presbítero cristão de Alexandria.

Doutrina

Arius defendia a seguinte doutrina da Cristologia:

  • Que o Logos e o Pai não eram da mesma essência.
  • Que o Filho era uma criação do Pai
  • Que houve um tempo em que o Filho (ainda) não existia

Vida

Arius foi aluno de Luciano de Antioquia, um celebrado professor do cristianismo e um mártir da sua fé. Numa carta ao Bispo Alexandre de Constantinopla, Alexandre, Patriarca de Alexandria escreveu que Arius derivou a sua heresia de Luciano. Apesar do caráter de Arius ter sido severamente assaltado pelos seus opositores, Arius parece ter sido um homem de um caráter ascético, de moral pura, e de convicções.

Em 318 houve uma discussão entre o Bispo Alexandre de Alexandria (Veja mais sobre o Bispo Alexandre de Alexandria) e Arius, porque este último acusava Alexandre de Sabelianismo (Veja mais sobre o Sabelianismo) . Num Concílio que Alexandre convocou de seguida, Arius foi condenado. Arius tinha, no entanto numerosos apoiantes e a disputa espalharam-se desde Alexandria por todo o Oriente. Ao mesmo tempo, Arius encontrou refúgio e o apoio de Eusébio de Cesareia.

Para restabelecer a união entre os cristãos, o Imperador Constantino I convocou o Primeiro Concílio de Nicéia em 325, onde a doutrina de Arius acabou por ser condenada como herética. Arius foi expulso, tendo, no entanto a sua banição sido anulada pela influência do Bispo Eusébio de Nicomédia em 328, o mesmo ano em que Atanásio se tornou Bispo de Alexandria.

Em 335 Arius seria supostamente reabilitado. Ele declarou-se de acordo em subscrever a doutrina de Nicéia, que ele tinha recusado anteriormente. Antes de poder receber a comunhão em Constantinopla, morreu subitamente. De acordo com o relatório de Sócrates Scholasticus (História da Igreja, I, XXXVIII), o Metropolita Alexandre de Constantinopla (314-337), pediu, em conflito de consciência que a ordem do imperador lhe causara, que matassem Arius ou a ele antes que a comunhão tivesse lugar.

Alguns povos seguiram a doutrina de Arius até ao século VII. Com a conversão de Chlodwig à fé romana de Atanásio, por motivos de ordem estratégica, deixaram de ser arianos. A problemática da Trindade (Veja mais sobre a Trindade) permanece em aberto até hoje.

Fonte: Fabio Bmed – Wikipedia / Profetico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.