Justica + Esperanca = Verdade

Conta uma estória da idade média que um homem muito correto foi injustamente acusado por um crime de assassinato. Na verdade, o assassino era uma pessoa influente e encontraram, no nobre homem, um bode expiatório para ser julgado, cuja pena era a forca.

Tudo estava tramado e, no dia do julgamento, diante de grande platéia, o juiz cinicamente fez uma proposta ao acusado:

-Sou um homem justo e religioso e, por isso, deixarei a sua sorte nas mãos de Deus. Vou escrever num pedaço de papel a palavra “CULPADO” e, em outro pedaço, a palavra “INOCENTE”. Você escolherá um dos papéis e Deus decidirá o seu destino.

Sem que o acusado percebesse, o juiz escreveu nos dois papéis a palavra “CULPADO” e os colocou sobre uma mesa, mandando o acusado escolher. O pobre homem pensou alguns segundos, aproximou-se da mesa e, num gesto rápido, pegou um dos papéis levando-o à boca e engolindo-o. Todos os presentes reagiram surpresos e indignados com aquela atitude.

O juiz colérico perguntou:

– Mas o que você fez? E agora? Como vamos saber qual é o veredicto.

– É muito fácil – respondeu o homem. Basta abrir o outro papel que sobrou e saberemos que o pedaço que engoli tem a outra palavra.E imediatamente o homem foi posto em liberdade.

Quando temos a verdade, não importa como, a justiça sempre prevalece.

Pr. Paulo Mori – Bacharel Teologia – Licenciado Pedagogia – Filosofia; Pós Graduado Docência do Ensino Superior; Técnico Eletrônico / Profetico